Em reunião na manhã desta quarta-feira (13), a Executiva Nacional do Democratas aprovou, por unanimidade, a expulsão do ex-policial militar Elcio Vieira de Queiroz, 46, preso na terça-feira (12), suspeito de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018, no Rio de Janeiro.

O presidente do partido, ACM Neto, prefeito de Salvador, disse que a direção nacional não sabia que o ex-policial era filiado ao DEM.

“A gente não pode controlar os filiados de todo o Brasil. O que a gente pode é fazer como o partido fez: tomar medidas enérgicas diante de um fato absolutamente deplorável. O partido jamais aceitaria ter em seus quadros alguém acusado de assassinato em um crime que também foi contra a democracia”, afirmou ACM Neto.

O ex-policial militar foi preso na terça-feira suspeito de participar do assassinato da vereadora e do motorista juntamente com o sargento da reserva da Polícia Militar Ronnie Lessa.

Leia mais:
Cinco pessoas prestam depoimento no Rio sobre caso Marielle
Polícia e MP cumprem 16 mandados de busca relativos ao caso Marielle
Caso Marielle: Polícia Civil cumpre novos mandados de busca
PM acusado de matar Marielle se envolveu com bicheiro e já sofreu atentado
Operação sobre caso Marielle foi vazada, confirmou um dos alvos