O deputado federal Leonardo Quintão (PMDB-MG) declarou nesta sexta-feira (18) que a Polícia Federal (PF) vai instaurar inquérito para investigar ameaça de morte contra o peemedebista, recebida pelo WhatsApp. A ameaça, segundo Quintão, é de um morador da cidade de Ipatinga, no Vale do Ação, reduto político da família.

Na quinta-feira (17), o parlamentar foi indicado pelo PMDB para compor a comissão do impeachment, aprovada pela Câmara dos Deputados. Ele é favorável ao impedimento da presidente Dilma Rousseff (PF). Segundo Quintão, a divulgação equivocada de um portal de notícias, que o havia colocado na lista dos que são contra o impeachment, pode ter despertado a ira do cidadão de Ipatinga.

 “Fui orientado pelo meu advogado para procurar a Polícia Federal. Não podemos caminhar para o extremismo. Agora, essa pessoa será chamada para prestar depoimento”, declarou, após prestar depoimento para o delegado Alexandre Leão, superintendente em exercício. Quintão se posicionou a favor do impeachment por entender que Dilma perdeu o controle político do país e por não ter capacidade de dialogar. Ele aponta ainda a crescente perda de vagas de empregos no país.

Em vídeo gravado, o eleitor, que acreditava que o parlamentar teria posição contrária ao impedimento da presidente Dilma, ameaçou: "O deputado Leonardo Quintão (...) é contra o impeachment (...) isso dá vontade de chorar. Ter um deputado que arranca voto de nossa cidade para ser contra o povo, para defender mineradora. Isso é uma sacanagem, é uma putaria. Nós vamos pra rua, a partir de amanhã, para matar esse canalha".