O desembargador-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Gilson Soares Lemes, comemorou o acordo de R$ 37,6 bilhões firmado, nesta quinta-feira, entre o governo de Minas e a Vale por conta da tragédia de Brumadinho, em janeiro de 2019.

O montante será destinado à reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, que deixou 270 mortos. A assinatura do documento acontece pouco mais de dois anos após o desastre ambiental.

"Fizemos um acordo histórico, talvez o maior em desembolso da América Latina. Essa é a importância do poder judiciário: buscar a solução de conflitos. Estamos aqui hoje sentindo pela tragédia de Brumadinho, mas com o sentimento do dever cumprido, de dar uma resposta em tempo razoável às vítimas, aos atingidos e à sociedade", disse, em entrevista coletiva na sede do TJMG.

Segundo o governador Romeu Zema (Novo), o acordo envolve uma série de ações e todas as instituições estarão envolvidas e acompanhando o desenrolar do ressarcimento dos atingidos. 

"Nós vamos ter a continuidade do auxílio emergencial que está sendo pago aos que estão na área atingida. O Ministério Público Estadual e Federal estarão acompanhando os ressarcimentos".

O valor será investido em diversas esferas, como infraestrutura e saúde. Parte do dinheiro será usado na construção do Rodoanel, na Grande BH, obra que pretende melhorar o fluxo e diminuir os acidentes do atual anel rodoviário. Além disso, haverá investimento na reforma dos hospitais João XVIII e Eduardo de Menezes, ambos na capital.

"Teremos obras que caberá ao Estado executar, nesse caso, o Tribunal de Contas do Estado, a Assembleia Legislativa e o próprio Ministério Público", garantiu Zema.

Conforme o executivo estadual, o acordo de reparação financeira, após quatro meses de negociações, vai viabilizar investimentos em benefício das regiões atingidas e da população, e os recursos começarão a ser aplicados "em breve". Do total indenizatório, cerca de 30% será exclusivamente destinado ao município e a população de Brumadinho.

Leia também:
Vale e Estado assinam acordo de R$ 37,6 bilhões por tragédia em Brumadinho
Rodoanel, metrô e reformas de hospitais: veja como será utilizada a indenização da Vale