A taxa de desocupados em Minas Gerais fechou 2017 em 10,6%. O índice corresponde a 1,19 milhão de desempregados. O dado é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que nesta sexta-feira (23) divulgou o resultado  da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). O estudo é referente aos meses de outubro, novembro e dezembro.

Segundo o levantamento, o Estado tem 10 milhões de pessoas inseridas no mercado de trabalho. Desse montante, 206 mil conseguiram uma ocupação no 4º semestre. Entre julho e setembro, o número de desempregados era ainda maior:  aproximadamente 1,37 milhão.

A pesquisa aponta aumento de empregados do setor privado com carteira assinada e também de pessoas ocupadas por conta própria ou como empregadores. O comércio e setor automotivo foram os responsáveis por diminuir a taxa de desocupados em Minas. Em contrapartida, a agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura dispensaram mais trabalhadores do que contrataram.

No Brasil, conforme o IBGE, faltava trabalho para cerca de 26,4 milhões de brasileiros no quarto trimestre de 2017. O indicador inclui a taxa de desocupação, a taxa de subocupação por insuficiência de horas e a taxa da força de trabalho potencial, pessoas que não estão em busca de emprego, mas estariam disponíveis para trabalhar. No quarto trimestre de 2016, a taxa de subutilização da força de trabalho estava mais baixa, em 22,2%.

Leia mais:
IBGE mostra que 26,3 milhões de pessoas estão sem emprego no Brasil