O Dia Livre de Impostos é realizado há 13 anos como forma de protesto contra a alta carga tributária no país. O próximo está marcado para 30 de maio, mas empresários mineiros já programam quais produtos e serviços serão ofertados com descontos referentes aos tributos existentes. O encontro foi na Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte, que junto com a CDL Jovem organiza o Dia Livre de Impostos na capital. "A gente vem crescendo a cada ano. Em 2018, cerca de 800 empresas participaram e a meta é dobrar esse número em 2019, em BH", afirmou o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.  

Ainda em 2018, 650 mil produtos foram ofertados sem impostos, segundo a CDL/BH, e a ideia também é superar esse número. A drogaria Araujo, por exemplo, já garantiu a participação de 248 lojas em todo o Estado, com a comercialização de medicamentos, alimentos, produtos de beleza e infantis. “É muito importante mostrar ao cliente o valor da carga tributária de cada produto que ele consome”, disse o gerente de marketing da rede de farmácias, André Gifoni. 

Com 19 lojas na capital mineira, a Centro Visão garantiu a participação de todas as unidades nesta 13ª edição. “A maior dificuldade para o crescimento das empresas no Brasil é a carga tributária. Precisamos mudar essa realidade brasileira”, explicou o diretor da rede de óticas, Fernando Cardoso.

A Dog's Shop, que trabalha com produtos pet, vai participar com cinco lojas e comercialização de mais de 2 mil itens. "É na hora de efetuar o pagamento dos produtos sem o valor da carga tributária que o cliente vê o tanto que o brasileiro paga de imposto”, comentou o dono da rede, Matheus Ferraz.

Alta carga tributária

A carga tributária brasileira está entre as mais elevadas do mundo. Ela corresponde, em média, a 41,8% do rendimento bruto de cada cidadão. "O atual sistema de cobrança de impostos do Brasil é totalmente incompatível com a política adotada pelos países que buscam o fomento do setor produtivo, a melhoria do bem estar da população e a redução das desigualdades sociais”, afirmou o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. 

O dirigente ainda ressaltou que não é uma questão de ser contra a cobrança de impostos. “Nossa luta é por um sistema tributário mais simples e menos oneroso, que vá ao encontro do desenvolvimento que todos queremos para o nosso país". Para Marcelo de Souza e Silva, depois da Reforma da Previdência, o governo precisa fazer a Reforma Tributária urgente.

Os empresários interessados em participar da ação manifestando seu protesto contra a elevada carga tributária podem acessar o site www.dialivredeimpostos.com.br, ou entrar em contato pela CDL/BH pelo telefone (31) 3249-1636.

Bom para o consumidor

É crescente o interesse de muitos consumidores no Dia Livre de Impostos para aproveitar os descontos nos produtos. O preço da gasolina mais baixo, por exemplo, leva dezenas de motoristas ao posto participante do evento. É comum pessoas dormirem na fila. 

Para o diretor da CDL-BH, isso não é ruim. "A população se conscientiza da alta carga tributária e também há aumento nas vendas", afirmou. 

A CDL explica que o Dia Livre de Impostos, que antes era chamado de Dia da Liberdade de Impostos, mudou de nome como estratégia de marketing. De acordo com o diretor da CDL, este ano, o modelo de protesto adotado na capital vai ser reproduzido em vária partes do país. "A CDL-BH cedeu a metodologia e a marca", contou 

Leia mais:
Gasolina vai ser vendida a R$ 2,281 em BH no 'Dia da Liberdade de Impostos'
Shoppings de BH e Contagem aderem pela primeira vez ao Dia da Liberdade de Impostos
Consumidor enfrenta filas quilométricas para aproveitar o Dia da Liberdade de Impostos em BH