A Corte Eleitoral acolheu os recursos do candidato ao Governo de Minas, Antonio Anastasia, e determinou a perda de tempo de inserções da candidata ao Senado, Dilma Rousseff, em razão da veiculação de propaganda que teria degradado a imagem do candidato. 

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), foram quatro representações proposta por Anastasia, questionando a propaganda que fazia menção ao alegado golpe de 2016, com uso de cenas violentas, veiculada nos dias 31 de agosto e 2 a 7 de setembro. 

A juíza Cláudia Cruz já havia suspendido liminarmente a exibição da inserção e nesta quinta-feira (27), por quatro votos a dois, a Corte Eleitoral decidiu também pela perda do tempo de propaganda. A candidata tem 24 horas para apresentar o plano de mídia que comprove por quantas vezes a inserção foi veiculada para que seja calculado o tempo efetivo a ser suspenso.

A assessoria da candidata Dilma Rousseff informou que vai recorrer da decisão.