A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requereu, na manhã deste domingo (8), a suspensão da decisão judicial que, no fim de sábado (7), permitiu a apreensão das obras com a temática LGBT na Bienal do Livro no Rio de Janeiro.

Encaminhada ao presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, a petição de contracautela tem como objeto a decisão do presidente do Tribunal de Justiça do Estado que suspendeu liminar concedida em mandado de segurança apresentado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros e a empresa GL Events Exhibitions.

Os organizadores da Bienal reagiram à determinação do prefeito municipal e do secretário da Ordem Pública para que fossem recolhidas obras sobre o tema.

Leia mais:

Justiça do Rio autoriza recolhimento de livros na Bienal

Mauricio de Sousa se manifesta contra censura de HQ na Bienal do Livro do Rio

Defensoria Pública do Estado do Rio critica censura na Bienal do Livro