Na década de 1990 o Mitsubishi Eclipse era a sensação entre pagodeiros e jogadores de futebol. Ele também foi estrela de cinema, com sua performance “bandida” no primeiro filme da série “Velozes e Furiosos”. Agora o nome, que representa o fenômeno do alinhamento dos corpos celestes está de volta para batizar um utilitário-esportivo (SUV) compacto. E como atualmente tudo vira SUV, o Eclipse Cross é a aposta da marca dos três diamantes para concorrer com o Honda HR-V e Toyota CH-R nos mercados japonês, europeu, norte-americano e australiano.

O jipinho que herdou a identidade visual dos demais utilitários da marca japonesa e abusa de linhas retilíneas nos recortes das janelas e vincos. O SUV pode ser equipado com um motor 1.5 turbo combinado com transmissão do tipo de CVT, que emula oito marchas, ou com uma unidade 2.2 turbodiesel, que adota caixa automática convencional de oito velocidades. Além disso, o jipinho ainda conta com tração nas quatro rodas com distribuição eletrônica de torque.

Por dentro, o destaque fica para o sistema de entretenimento e navegação, que adota superfície sensível ao toque semelhante ao já adotado pela Audi, em que o motorista ou carona podem navegar ou escrever o destino com a ponta dos dedos. O Eclipse Cross ainda conta com recursos como conexão para smartphones nos padrões Apple Car Play e Android Auto.

Brasil
De acordo com a MMC, o Eclipse Cross será um modelo oferecido em diversos outros mercados, além dos confirmados. No entanto, não cita o Brasil como destino certeiro. Mesmo assim, trata-se de um modelo que poderia muito bem ser empregado na gama da Mitsubishi, uma vez que o atual SUV de entrada da marca, o ASX, parte de R$ 98 mil, e como o Eclipse Cross se posiciona abaixo do ASX, ele poderia muito bem ocupar a vaga deixada pelo finado TR4. Porém, a filial brasileira afirma que por hora não há nenhum plano concreto para o modelo.