Em tempos de mudanças nas regras da aposentadoria, guardar dinheiro para o manter a qualidade vida é a melhor saída para evitar problemas no futuro. Entre as muitas opções que existem no mercado para fazer um 'pé de meia', como título do tesouro e poupança, por exemplo, a previdência privada é uma das “queridinhas” do consumidor. Confira dicas do coordenador do curso de Administração do Ibmec, Eduardo Coutinho, para não levar gato por lebre na hora de contratar um plano.

Leia mais:
Reforma da previdência promete punir quem mais contribui e manter benefícios a militares e políticos
Rombo causado pela sonegação pode adiar aposentadorias
 


1) Pesquise a reputação da operadora que leva o nome do plano. O banco é apenas um canal de comercialização. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) é uma boa entidade para verificar a idoneidade do produto.

2) A previdência é um produto como qualquer outro. Vale a pena pesquisar as taxas de administração e de carregamento. A primeira diz respeito ao custo que a operadora terá para administrar o plano, como o prórprio nome diz. A segunda, de carregamento, é uma taxa que baliza os depósitos. Algumas operadoras cobram menos do que outras. Vá pessoalmente aos bancos e converse com o gerente. Negocie.

3) Faça a opção pelo modelo que mais lhe convém: PGBL, que cobra menos imposto no presente e mais no futuro, e VGBL, que faz a cobrança inversa. Pesquise bastante sobre as duas modalidades antes de assinar o contrato.

4) Leia o contrato com atenção. Releia. Verifique se você está de acordo com todas as cláusulas. Elas terão que ser cumpridas, tanto pela operadora quanto por você.

5) Se você parar de pagar o plano, a operadora poderá colocar seu nome em listas de devedores, restringindo o seu crédito. Cuidado!

6) Verifique o perfil do plano. Se for uma carteira de investimentos com foco em títulos públicos, talvez valha mais a pena você investir no tesouro.

7) Qual a sua resistência ao risco? Alguns planos têm carteiras mais arriscadas, outras, mais voltadas a investimentos de renda fixa. O perfil do comprador deve casa com o perfil do plano.

8) Lembre-se que quando você retirar o dinheiro do plano será descontado o imposto de renda.

9) Alguns planos permitem que o dinheiro seja retirado antes do previsto inicialmente, com rendimento menor. Outros, mantêm o rendimento, mesmo que a data da retirada for antecipada (neste caso, lembre-se que há uma data limite). Fique atento para escolher o melhor para você!

10) Planos de previdência costumam cobrir invalidez, acidentes. Faça o que for mais adequado ao seu perfil.