Na contramão da crise econômica, o setor de consultoria ambiental não para de crescer, impulsionado pela complexidade da legislação e pelo endurecimento da fiscalização. A Verde Ghaia, empresa mineira de gestão da sustentabilidade (enquadramento de empresas na legislação ambiental), por exemplo, vem captando, em média, 20 novos clientes por mês.
 
A empresa cresceu 30% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, e 22% no ano passado. Fundada em Belo Horizonte há 16 anos, a Verde Ghaia aparece na lista das 250 empresas de pequeno e médio portes que mais crescem no Brasil considerando operação e faturamento, segundo levantamento da Deloitte.
 
Um dos motivos para o salto contínuo está relacionado ao fato de o mercado ter comprado a ideia de sustentabilidade. O outro é a dificuldade que o empresariado ainda tem de entender e cumprir a legislação brasileira, especialmente com relação às exigências na área ambiental, avalia Deivison Pedroza, presidente da empresa.
 
“No Brasil surgem mais de 1.200 leis por mês. É um país com uma legislação astronômica. Há também um crescimento do interesse nos conceitos de padronização e de certificação nas áreas de qualidade e meio ambiente. Esse é outro motivo para a grande procura, os empresários querem se adequar”.
 
Resíduos
 
A empresa oferece serviços variados nas áreas de gestão empresarial de qualidade, saúde e segurança, meio ambiente e responsabilidade social. As atividades de auditoria e de gerenciamento de resíduos são as que mais crescem, segundo Pedroza.
 
“O empresário descobre que lixo na verdade é resíduo, que é possível reutilizar. Esse não era um comportamento comum do brasileiro até pouco tempo. Hoje, o meio ambiente passa a ser o principal produto de uma empresa. É possível economizar, ganhar dinheiro, divulgar sua imagem e tirar vantagem disso”.
 
Com escritórios em Belo Horizonte e São Paulo, a carteira de clientes da Verde Ghaia já reúne 2.300 empresas de 350 ramos de atividades no Brasil, entre eles Renault, Ford e Toyota do setor automotivo, mineradoras como a Vale e a Gerdau, o Hospital Albert Einsten e Coca-Cola e Nestlé no setor alimentício.
 
Fora do país, a empresa tem atuação em Argentina, Honduras e Moçambique. “No Brasil, só não temos clientes no Acre”, brinca Pedroza.
 
Investimento
 
A empresa investe agora R$ 3,5 milhões num novo software, chamado SOGI, que é considerado um dos mais avançados em gestão de resíduos da América Latina.
 
“Estamos investindo muito em tecnologia. Um departamento muito atuante na empresa é o de inovação”.
 
“Na crise criamos as melhores oportunidades. Nossa missão é estar sempre quatro anos à frente dos concorrentes e preparados para as novas tendências, investindo muito em tecnologia” - Deivison Pedroza - presidente Verde Ghaia