A multinacional fabricante de alumínio, Alcoa, com sede nos Estados Unidos, anunciou nesta terça-feira (30) o fechamento em definitivo de sua primeira unidade no Brasil, localizada em Poços de Caldas, no Sul de Minas. Hoje a empresa afirmou que as operações estavam suspensas na unidade desde maio de 2014.

A empresa empregava até o final do primeiro trimestre deste ano 650 trabalhadores – demitiu em 2014, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Poços de Caldas, 450 funcionários. As operações da companhia são eletrointensivas (alto consumo de energia) e a empresa já havia reduzido a produção para comercializar energia no mercado livre.

No Brasil, a Alcoa iniciou sua atuação em 1965 com o nome de Companhia Mineira de Alumínio (Alcominas).

Veja a nota da companhhia:

“O fechamento da unidade de Poços retira permanentemente uma unidade de alumínio primário de alto custo do sistema da Alcoa e é mais um passo na criação de uma atividade de metais primários mais lucrativa”, afirmou o presidente de Produtos Primários Globais da Alcoa, Bob Wilt.

Ao fechar a unidade de alumínio primário de Poços, a capacidade total de produção da Alcoa neste segmento será reduzida em 96.000 toneladas, caindo para 3,4 milhões de toneladas. A mina, a refinaria, a fábrica de alumínio em pó e a casthouse de Poços continuarão operando normalmente.

Em virtude do fechamento, a Alcoa prevê registrar despesas relacionadas à reestruturação no segundo trimestre de 2015 entre US$ 100 milhões e US$ 110 milhões incluídos os impostos, ou US$ 0,08 a US$ 0,09 por ação, sendo que 60% desse valor é não-monetário.