Com o cenário econômico adverso, reduzir os gastos é palavra de ordem. Para isso, no entanto, é necessário ficar atento às faturas dos cartões de crédito. Além dos juros do rotativo, que passam dos 400% ao ano, as anuidades dos cartões aumentaram quase 200% entre agosto de 2014 e o mesmo mês de 2015, segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Defesa do Consumidor (Idec). O problema é que, como a maioria dos bancos parcela o encargo, muitos consumidores o pagam sem ver. E nem todo o mundo tenta negociar os valores.

Cartões de crédito de seis dos principais bancos foram pesquisados. Juntos, eles representam 80% das movimentações realizadas em território nacional. A anuidade do cartão Esso/Shell, do Santander, foi a que registrou maior aumento no período, com elevação de 188% entre agosto de 2014 e agosto de 2015.

A economista do Idec Ione Amorim explica que os bancos oferecem dezenas de modelos de dinheiro de plástico, cada um voltado a um tipo de cliente.

“Se o cliente viaja muito, talvez seja interessante que ele tenha um cartão que pontue mais em operadoras de viagem, mas que custa mais caro. Porém, se ele não viaja, gastar com este cartão não vale a pena”, ressalta. De acordo com o coordenador-geral do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, a pesquisa chama a atenção para a competitividade do setor e o poder de barganha do consumidor. “Eu mesmo nunca paguei anuidade. Sempre negocio”, garante. Na avaliação de Barbosa, muitos consumidores não conferem o extrato do cartão de crédito e não sabem, sequer, quanto pagam de anuidade.

Alerta

“As operadoras dão um desconto no primeiro ano, mas os seguintes cobram normalmente. Como a conta é parcelada, as pessoas não percebem. E sempre tem aumento, que é permitido por lei”, diz.

A dona de casa Dione Tambeiro, de 55 anos, paga na íntegra a anuidade de dois cartões de crédito. Ela relata que sempre pensa em ir ao banco negociar, mas acaba se esquecendo. “Como é parcelado e o valor é pequeno, acabo pagando”, afirma.

O empresário Júlio Mattos Horta, de 45 anos, também possui dois cartões, mas negocia a anuidade e economiza. “Recebo muitas ofertas de concorrentes. Qualquer coisa, mudo”, enfatiza. O Itau informou, em nota, que “o valor do reajuste leva em consideração não apenas a inflação do período, mas também a dinâmica do mercado e características de cada produto”.

O Santander disse que no caso do “cartão Shell Santander Nacional, a tarifa está adequada às condições diferenciadas do produto, como os descontos em compras”. Procurados, os demais bancos não se posicionaram.