O presidente do grupo de ministros das Finanças da zona do euro (Eurogrupo), Jeroen Dijsselbloem, pediu nesta quinta-feira que os parlamentares da Alemanha votem a favor de conceder um terceiro programa de ajuda à Grécia, nesta sexta-feira.

Durante uma visita à capital alemã, ele também criticou as vozes dissidentes em Berlim que lançaram dúvidas sobre se Atenas cumprirá sua parte, dizendo que todos os envolvidos concordaram com o acordo "após tão longas e duras negociações". "O apoio do Parlamento alemão, como de qualquer outro Parlamento, é crucial, não apenas por razões legais, mas também políticas. Nós precisamos nos comprometer com isso, todos nós", afirmou ele em Berlim.

A Câmara dos Deputados alemã deve votar a questão nesta sexta-feira. "Eu não acho que é inteligente que após termos atingido esse acordo alguns políticos estejam dizendo que não têm confiança suficiente, que nunca irá funcionar, que não manteremos nossas promessas - sim, nós manteremos", disse Dijsselbloem.

Mais cedo nesta quinta-feira, os ministros das Finanças da zona do euro fecharam um acordo preliminar para dar à Grécia um pacote de ajuda de três anos, após o Parlamento grego aprovar novas medidas de austeridade. Antes, porém, é necessário o sinal verde de Parlamentos de vários países, incluindo a Alemanha.

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, disse não ver como o plano para a Grécia, que ele mesmo ajudou a negociar, poderia funcionar. Ainda assim, o partido do ministro deve apoiar a iniciativa. O líder do Partido Social Democrata, Thomas Oppermann, disse que sua sigla apoia a ideia de dar uma nova chance aos gregos. O Partido Social Democrata é um parceiro minoritário na coalizão de governo da chanceler Angela Merkel - a coalizão governista controla 80% dos votos na Câmara dos Deputados.

Fonte: Dow Jones Newswires