A agência de classificação de riscos norte-americana Standard & Poor's, que recentemente passou a avaliar as contas de Minas Gerais, publicou em julho relatório técnico atribuindo a Minas Gerais o rating AAA (escala nacional) indicando o Estado ao status de investiment grade (ou "grau de investimento").

A classificação do Estado no grau de investimento permite diversos benefícios, como um ambiente de negócios mais favorável, taxas de juros menores e atração de grandes investidores de países desenvolvidos que, por regras dos seus estatutos, só podem investir em ativos considerados
de baixo risco.

Como resultado de um trabalho de muitos anos, iniciado em 2003 com o Choque de Gestão, Minas conseguiu alcançar um patamar fundamental, o chamado investiment grade, o grau de investimento aprovado pela Agência Standard & Poor´s. Agora, o Estado tem mais facilidade ainda de obter crédito internacional para melhores investimentos.

Para o governo, a conquista evidencia a pujança do Estado de Minas Gerais, mesmo em um momento de
crise global. A adoção de uma política fiscal controlada respondendo rapidamente à perda do dinamismo da economia foi fundamental para assegurar o equilíbrio das contas estaduais.

Diferentes frentes de ação foram empreendidas pelo Governo do Estado nos últimos anos, não apenas em termos econômico-financeiros, mas também na gestão administrativa, imprimindo uma dinâmica que refletisse na obtenção de receitas extras e no controle dos gastos. A obtenção do grau de investimento atesta o acerto da estratégia de atuação desenvolvida pelo governo de Minas nos últimos anos.

A avaliação de risco de crédito é um sistema de notas desenvolvido por agências de análise de riscos que refletem a opinião de seus analistas sobre a capacidade e a vontade de um emissor - que pode ser um país, um estado ou uma empresa - em saldar seus compromissos financeiros.

A partir da nota de risco recebida, o chamado rating, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos compensa o risco de perda do capital investido em função da instabilidade da instituição em questão. Entre os pontos positivos de sua análise, a Standard & Poor's destacou a gestão fiscal prudente e transparente desenvolvida pelo Governo de Minas nos últimos anos e a melhoria de performance
financeira sólida e recorrente do Estado.

Os analistas da agência norteamericana destacaram ainda a negociação bem sucedida do Governo de
Minas junto às instituições financeiras Credit Suisse, Banco Mundial e

Agência Francesa de Crédito, que viabilizou uma operação de vulto e prazo relevantes e contribuiu para o perfil do passivo financeiro do Estado. Minas Gerais obteve o mesmo rating atribuído aos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.