Pela 29ª vez consecutiva o Banco Central (BC) elevou a estimativa de inflação para 2021. De acordo com o Boletim Focus, divulgado nesta segunda, o Índice Geral de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar com um acúmulo de 8,96% - 0,27 ponto percentual acima da última projeção feita na semana passada. Outra indicação pessimista feita pelos técnicos do BC foi em relação ao crescimento da economia brasileira em  2021. Segundo o Focus, o Produto Interno Bruto (PIB) para o próximo ano deve ficar abaixo dos 5%.

O mercado reagiu ao anúncio e reduziu a estimativa de crescimento para menos de 5%. Segundo o BC, a economia brasileira vai crescer 4,97%; na semana passada o Focus indicava um crescimento de 5,04%. Em relação a 2022, a estimativa de expansão saiu de 1,50% para 1.40%.

O pessimismo do mercado para a inflação também segue para 2022. O IPCA pode chegar a 4,40%. Na semana passada, o mercado estimava que as perdas poderiam chegar a 4,18%.

Com a inflação em alta, o mercado também alterou as expectativas em relação à taxa básica de juros (Selic), que deve chegar a 8,75% no fim do ano, frente aos 8,25% estimados na semana passada. Para o próximo ano, a Selic deve ser de 9,50%.