Após reduzir a Selic (a taxa básica da economia) de 5,50% para 5,00% ao ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) avisou que deve realizar um novo corte de 0,50 ponto porcentual na reunião marcada para dezembro deste ano. Com isso, a Selic encerraria 2019 em 4,50% ao ano.

"O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude", informou o colegiado, em comunicado.

Ainda assim, o Copom avaliou que o atual estágio do ciclo econômico recomenda cautela em eventuais novos ajustes no grau de estímulo.

"O Comitê reitera que a comunicação dessa avaliação não restringe suas próximas decisões e enfatiza que os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação", destacou o documento.

Passada a aprovação da reforma da Previdência no Congresso Nacional, o BC reconheceu que o processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira tem avançado, mas enfatizou que "perseverar nesse processo é essencial para permitir a consolidação da queda da taxa de juros estrutural e para a recuperação sustentável da economia".

Mais uma vez, o Copom lembrou que a percepção de continuidade da agenda de reformas afeta as expectativas e projeções macroeconômicas correntes.