O Banco Central anunciou nesta terça-feira, 29, pela primeira vez, suas projeções para o setor externo em 2017. Além disso, a instituição atualizou suas estimativas para o ano de 2016, com base nos resultados verificados até novembro deste ano.

A projeção para as transações correntes no próximo ano é de rombo de US$ 28 bilhões. No caso de 2016, a previsão de déficit foi de US$ 18 bilhões, em agosto, para US$ 22 bilhões, na divulgação de hoje. A primeira projeção para este ano, apresentada em dezembro do ano passado, era de déficit de US$ 41 bilhões.

No caso da balança comercial, a estimativa para 2017 é de superávit de US$ 44 bilhões. Para 2016, ela caiu de US$ 49 bilhões para US$ 44,5 bilhões. Essas projeções surgem em meio a mudanças no patamar do dólar entre o fim de agosto e o fim de novembro. A moeda americana subiu no período cerca de 5%. No fim do ano passado, a estimativa do BC para a balança comercial era de superávit de US$ 30 bilhões neste ano.

O BC informou ainda que espera que as exportações atinjam US$ 195 bilhões em 2017 e as importações, US$ 151 bilhões. Já o resultado da balança comercial em 2016, pelas projeções do BC, será formado por exportações de US$ 184 bilhões, ante os US$ 190 bilhões da última previsão, e importações de US$ 139,5 bilhões, ante os US$ 141 bilhões de importação da projeção anterior. A primeira estimativa para 2016 era de exportações de US$ 190 bilhões e importações de US$ 160 bilhões.

Para 2017, a projeção de Investimento Direto no País (IDP) do BC é de US$ 75 bilhões - portanto, mais do que suficiente para cobrir o rombo esperado na conta corrente. A instituição manteve em US$ 70 bilhões sua projeção de IDP para 2016. A primeira estimativa, feita no encerramento de 2015, era de US$ 60 bilhões.

A previsão dos gastos a serem feitos por brasileiros em viagens ao exterior em 2017, já descontados os recursos que serão deixados no Brasil por estrangeiros, é de US$ 10,5 bilhões. No caso de 2016, passou de US$ 7,5 bilhões para US$ 8,5 bilhões. Em dezembro de 2015, o valor previsto para este ano era de US$ 9 bilhões.

Já a expectativa de gastos com juros em 2017 é de US$ 20,9 bilhões. Para 2016, a projeção passou de 21,2 bilhões para US$ 21 bilhões. Em dezembro do ano passado, quando foi anunciado o primeiro cálculo para este ano, a projeção era de US$ 20,9 bilhões.

Sobre a remessa de lucros e dividendos ao longo do ano, a projeção do BC para 2017 é de saída de US$ 23,5 bilhões. No caso de 2016, passou de US$ 19 bilhões para US$ 19,5 bilhões. Em dezembro do ano passado, a expectativa para 2016 era de US$ 20 bilhões.

A instituição previu ainda que o investimento em ações em 2017 será de US$ 10 bilhões. Para 2016, a projeção ficou inalterada em US$ 9,0 bilhões.

Já para a renda fixa, o BC prevê saídas também de US$ 10 bilhões em 2017. No caso de 2016, a estimativa é de envio líquido de US$ 24,5 bilhões, ante projeção de US$ 18,0 bilhões de três meses atrás e de US$ 6,0 bilhões na primeira estimativa para o ano.

Leia mais:
Câmara aprova recuperação fiscal dos Estados sem 'pacote de maldades'
BC adotará medidas para tornar regulação menos complexa para instituições menores
Governo faz pressão para que bancos públicos reduzam taxas de juros