Brasil e Argentina assinaram nesta quinta-feira (25) a prorrogação do acordo automotivo por mais um ano, a partir de 1º de julho deste ano. O acordo em vigor terminava no dia 30 de junho. Segundo nota divulgada hoje pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), não houve alteração das regras e o sistema conhecido como "flex" continua em vigor.

Por esse sistema, para cada dólar que a Argentina exporta ao Brasil em autopeças e veículos, sem incidência de impostos, pode importar 1,5 dólar em produtos brasileiros. "A decisão de manter as atuais regras foi tomada em comum acordo entre as partes e, no período de prorrogação, serão realizadas negociações em bases mais amplas", diz a nota do MDIC.

O 41º protocolo adicional ao Acordo de Complementação Econômica, que estabelece normas para a comercialização de produtos do setor automotivo entre o Brasil e a Argentina, sem a cobrança de Imposto de Importação, foi assinado hoje, na Secretaria Geral da Associação latino-Americana de Integração (Aladi), em Montevidéu, no Uruguai.