O plenário da Câmara dos Deputados aprovou mais uma emenda ao projeto de lei complementar que amplia os benefícios do Supersimples, também conhecido como Simples Nacional. A emenda aprovada prevê a inclusão no benefício de micro e pequenas empresas de arquitetura e urbanismo, engenharia, medição, cartografia, geologia, geodésia, testes, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisas, design, desenho e agronomia. A emenda foi aprovada por 344 votos favoráveis, 73 votos contra e três abstenções.

O líder do governo, José Guimarães (PT-CE) criticou a proposta e disse que o Executivo vai vetá-la porque a emenda não fazia parte do acordo em torno do projeto original. "O governo não vai assumir esse compromisso. Os destaques contrariam o acordo que foi feito desde o início" , disse Guimarães.

A primeira emenda aprovada na noite desta quarta-feira (2) foi a que ampliou o benefício a todos os micro e pequenos produtores de bebidas alcoólicas.

O texto principal aprovado nessa terça (1º) previa o benefício do Supersimples para bebidas alcoólicas produzidas de forma artesanal. Por 210 votos favoráveis à supressão do termo "com produção artesanal", 171 contrários, os parlamentares estenderam o regime de tributação especial que permite o pagamento, em uma única guia, de oito impostos.

A liderança do governo não divulgou o impacto da emenda aprovada hoje. O plenário vota nesta noite ainda outra emenda, que prevê a inclusão no benefício de empresas de arquitetura e urbanismo, engenharia, medição, cartografia, geologia, geodésia, testes, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisas, design, desenho e agronomia.
 
O líder do governo, José Guimarães (PT-CE) criticou a proposta e disse que o Executivo vai vetá-la porque a emenda não fazia parte do acordo em torno do projeto original. "O governo não vai assumir esse compromisso. Os destaques contrariam o acordo que foi feito desde o início" , disse Guimarães.