Outras duas grandes empresas mineiras, líderes de mercado e de setores distintos, embora na mesma cadeia produtiva, são também exemplos de mergulho na realidade da Indústria 4.0, tendo como meta tornarem-se ainda mais competitivas e aumentar produtividade e eficiência. Ambas criaram suas próprias unidades de inovação em parceria com o CIT do Senai e Fiemg.

A construtora MRV, gigante do segmento, inaugurou, no final do ano passado, seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento. A iniciativa tem como objetivo desenvolver e testar tecnologias, processos, métodos e materiais em conjunto com parceiros, com o intuito de entregar ao consumidor um produto que seja cada vez mais inovador e de qualidade. No local, ocorre a integração de colaboradores e pesquisadores da construtora e das entidades.

“O espaço traz uma oportunidade para pensarmos e concebermos tecnologia para o segmento da construção civil habitacional de todo o país, e tudo centralizado em um ambiente controlado, com aquisição de dados precisos”, conta Eduardo Fischer, presidente da construtora.

A ArcelorMittal, que atua no mercado mundial de aço, insumo da construção, criou seu centro de inovação (Ciami), no CIT do bairro Horto, em BH, um pouco antes (2019). De acordo com a diretora de Estratégia, Inovação e Transformação do Negócio da empresa, Paula Harraca, a iniciativa foca no desenvolvimento de projetos de pesquisa e inovação, na aceleração de ações estratégicas, no acesso a equipamentos de última geração e no intercâmbio com profissionais qualificados. “O Ciami tem permitido maior agilidade para o desenvolvimento de pesquisas e produtos e interface mais próxima com o Açolab (ambiente colaborativo da ArcelorMittal)”, diz.


Leia também:

Inovação e tecnologia em foco: indústria mineira privilegia cada vez mais a modernização

Setores automotivo e do aço obtêm ganhos de produtividade ao aplicar conceitos inovadores

Empresa de laticínios aguarda um ‘payback’ recompensador