A Cemig divulgou, nesta quarta-feira (28), edital de licitação para venda de imóveis, por meio de pregão eletrônico, em Belo Horizonte, Dores do Indaiá, na região Central do Estado, e Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha. O pregão será realizado na próxima terça-feira (3), na plataforma do Portal de Compras da Cemig, e os interessados deverão enviar as propostas até 15 minutos antes do início da sessão.

Na capital, serão leiloados um prédio perto do Parque Municipal e outro na rua Itambé, na Praça da Estação, com nove andares, um anexo com três pavimentos e estacionamento em três níveis para carros e caminhões. 

De acordo com a Cemig, a seleção se dará a partir da modalidade de maior oferta de preço e as propostas classificadas durante o pregão serão selecionadas para a etapa de lances. 

Podem participar das licitações pessoas físicas e jurídicas. Os interessados devem se cadastrar junto à Cemig até três dias antes da data de realização do pregão. As exigências necessárias para o credenciamento podem ser observadas também no Portal de Compras.

Licitação

A licitação faz parte da iniciativa “Otimização do Portfólio de Imóveis da Cemig”, incluída no planejamento estratégico da Empresa, que tem o objetivo de otimizar e adensar a ocupação de edificações utilizadas pela empresa, visando a redução de despesas operacionais com manutenção, segurança, limpeza, conservação e pagamento de tributos.

De acordo com a Cemig, os imóveis leiloados são aqueles que, por razões de ordem técnica ou operacional, não mais se encontram aptos, úteis ou necessários à adequada prestação dos serviços de energia elétrica. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) permite que, após os trâmites necessários, realizados por profissionais habilitados, esses imóveis sejam colocados à venda, e a receita obtida deve ser, obrigatoriamente, reinvestida na concessão dos serviços de energia elétrica.

“É importante ressaltar que grande parte da infraestrutura predial da Cemig, tais como agências de atendimento, bases operativas e subestações foi dimensionada e construída em momentos em que a regulação do setor e a estruturação da empresa eram significativamente diferentes das atuais”, esclarece Ivna de Sá Machado de Araújo, gerente de Gestão de Imóveis da Cemig.

Fonte: Cemig