Os programas de pontos ou milhas surgiram nos Estados Unidos durante a década de 80. O objetivo era que as companhias aéreas conhecessem melhor seus clientes mais assíduos, oferecendo a eles descontos especiais. No Brasil, a ideia chegou em 1993, como uma ação da TAM. No mesmo ano, as empresas de cartões de crédito começaram a explorar a ferramenta, tornando os programas cada vez mais complexos, com diferentes regras de acúmulo e prazos para usufruto do recurso. 

De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), divulgados nessa segunda-feira (13), em 2018, foram resgatados 245 bilhões de pontos e milhas via programas de fidelidade, volume 20,5% superior ao registrado em 2017. No mesmo intervalo, a emissão de pontos/milhas cresceu 13,9%, atingindo um total de 286,6 bilhões.

O grupo varejo, serviços, bancos e indústria respondeu por 90,4% dos pontos originados, com o cartão de crédito mantendo a liderança como principal fonte de acúmulo de pontos/milhas. Os outros 9,6% vêm da compra de passagens aéreas. E na hora de resgatar pontos/milhas, os brasileiros continuam investindo em passagens aéreas. Elas correspondem a 74,8% do total de pontos/milhas utilizados no quarto trimestre de 2018.

E você, sabe como tirar o melhor proveito do benefício? Conheça seis dicas de experts na área:

1 - Junte pontos ou milhas
Normalmente, os pontos são oferecidos por companhias aéreas, cartões de crédito e postos de combustíveis. No entanto, também existem farmácias, hotéis, e-commerce, supermercados e vários outros estabelecimentos que dispõem de programas do tipo. Informe-se sobre as regras para acumulá-los e qual o melhor status para a sua rotina de compras.

2 - Troque os pontos
Hoje, é possível trocar os pontos não só por milhas de viagens, mas também por diárias de hotéis, ingressos para shows, espetáculos e cinema, diárias de hotel e até mesmo por produtos como roupas, celulares, itens para animais de estimação e móveis, dentre outras possibilidades.

3 - Valor mínimo para troca
Cada programa possui um valor mínimo de pontos que precisam ser atingidos antes de cada compra. É preciso estar atento a esse piso e avaliar bem se o seu consumo na empresa é suficiente para efetuar trocas.

4 - Otimização
Aproveite para ganhar pontos em dobro, acumulando, por exemplo, os benefícios oferecidos pelo seu cartão de crédito e pelo estabelecimento onde realizou a compra. Em alguns casos, é possível até mesmo unificar esses dois saldos.

5 - Transferência
Alguns programas são parceiros e permitem a transferência de pontos entre si. Contudo, é necessário checar o valor mínimo para a transação, analisar se ela é mesmo positiva - se os pontos valem mais ou menos no parceiro - e a possibilidade de renovação da data de validade.

6 - Validade
Embora a validade dos pontos, na maioria dos programas, seja de 24 ou 12 meses, esse prazo é variável. Portanto, avalie se conseguirá atingir o saldo mínimo para realizar trocas dentro do tempo delimitado.

7 - Outros benefícios
Além dos pontos, que podem ser trocados por produtos ou serviço, há alguns programas que oferecem benefícios diversos aos seus usuários, como ausência de filas, promoções exclusivas e atendimento diferenciado.

* Fonte: Bruno Nissental - CEO da Oktoplus,  app que permite o gerenciamento de programas de fidelidade