Embora muitas pessoas já estejam preparando a ceia e a festa para o Natal na tarde desta segunda-feira (24), há quem tenha deixado para comprar os presentes de última hora. O comércio do Centro de Belo Horizonte concentra centenas de “atrasados” durante a véspera. Em uma loja de calçados, o movimento é tanto que os consumidores esperam em fila, do lado de fora, para olhar os produtos. 

Os motivos para adiar as compras de fim de ano são diversos e vão desde a clássica preguiça, a falta de tempo e até os preços mais baratos. O caminhoneiro Francisco Custódio, de 44 anos, veio para a capital passar somente a véspera do Natal com a filha e a esposa e ficou a tarde escolhendo surpresas para elas. “Não consegui comprar antes, amanhã já viajo mais uma vez a trabalho e volto só no Ano Novo”, explica. 

No caso do estudante Gabriel Lessa, de 30 anos, que carregava sete sacolas com presentes de amigo oculto e para os familiares, a razão foi mesmo a falta de planejamento. “Como todo brasileiro, deixei para vir ao shopping em cima da hora. Mas não sou o único, porque aqui está lotado”, brinca. 

Quando o expediente da vendedora Naiara Mota, de 28 anos, acabou, ela aproveitou que já estava no centro de compras para procurar brinquedos e roupas para os sobrinhos.Em comparação aos dias anteriores, Naiara lembra que o movimento foi bem maior durante a véspera. 

“Todo ano é assim, o pessoal deixa mesmo para mais tarde. Hoje tivemos mais público na loja, sem dúvidas, e eu mesma também acabei adiando o momento de escolher os presentes”, conta. 

Menor preço

Como alguns itens vendidos no fim do ano são temáticos, muitos comerciantes optam por abaixar o preço para se livrarem do estoque. A administradora Polyanna Araújo conseguiu levar uma árvore de Natal que custava R$ 110 por R$ 50. 

Ela explica que não vai usar a decoração agora, mas que já ficará preparada para 2019. “O preço é muito melhor, então resolvi me adiantar”, diz.