As contas externas brasileiras apresentaram resultado negativo em março. O déficit em transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com outras nações, chegou a US$ 494 milhões, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (25) pelo Banco Central (BC), em Brasília.

O resultado do mês passado ficou abaixo do déficit registrado em março de 2018: US$ 666 milhões.

Nos três meses do ano, o resultado negativo chegou a US$ 8,176 bilhões, contra US$ 9,001 bilhões em igual período de 2017.

Retração

“Apesar da retração no superávit comercial, de US$ 6 bilhões para US$ 4,5 bilhões, houve recuo nos déficits das contas de serviços, de US$ 2,8 bilhões para US$ 2,1 bilhões, e de renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), de U$ 4 bilhões para US$ 3,3 bilhões”, diz o BC, no relatório.

O déficit em transações correntes nos 12 meses encerrados em março de 2019 somou US$13,7 bilhões (0,73% do PIB), resultado próximo ao registrado no mês anterior (US$13,9 bilhões, 0,74% do PIB).

Os investimentos diretos no país (IDP), recursos que vão para o setor produtivo da economia, acumularam ingressos líquidos de US$ 6,8 bilhões no mês, ante US$ 7,8 bilhões em março de 2018.

Leia mais:
Confira 9 estratégias para reduzir custos nos pequenos negócios
Confiança do Consumidor recua 1,5 ponto de março para abril, aponta FGV
Bancos compartilharão dados de clientes com integração de plataformas