A companhia aérea panamenha Copa Airlines reduziu duas frequências diárias para o Brasil em junho. Hoje, a empresa opera 12 voos diários para o país, que atendem oito cidades. Segundo o presidente da Copa, Pedro Heilbron, a redução de voos reflete o esfriamento da demanda no mercado brasileiro. "Também reduzimos o preço da passagem. A demanda está fraca", disse Heilbron a jornalistas, após participar da solenidade de ingresso da Avianca Brasil na Star Alliance.

A Copa Airlines mantém um hub (centro de distribuição de voos) no Panamá e, por meio de conexões no local, leva os passageiros brasileiros para destinos na América Latina e nos Estados Unidos. O Brasil é o segundo maior mercado da empresa, depois dos Estados Unidos.

A decisão da Copa segue um movimento de redução de oferta no Brasil já anunciado por outras aéreas estrangeiras. No mês passado, a Air France anunciou a redução de voos do Rio para a Europa. A americana Delta divulgou em abril um corte de 15% na oferta do Brasil. A crise econômica e a alta do dólar, que se valorizou quase 50% em relação ao real nos últimos 12 meses, estão reduzindo a demanda por passagens aéreas nacionais e internacionais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.