A partir desta segunda-feira (15), a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) fornecerá orientações e facilitará o acesso de micro e pequenos negócios da capital ao programa Estímulo 2020, lançado na semana passada por grandes empresas e entidades capitaneadas, no Estado, pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). 

Alternativa à oferta de crédito especial para empreendedores com faturamento afetado pela pandemia da Covid-19 - definida por medidas governamentais e considerada ineficaz, até o momento -, o programa ganhou aporte de R$ 100 milhões, captados pela própria Fiemg. A previsão inicial é de, já a pardtir desta semana, alcançar mais de mil empresas com faturamento anual de até R$ 1 milhão, especialmente nas áreas de varejo, alimentação e serviços.

Os empresários que quiserem se candidatar ao crédito poderão esclarecer todas as dúvidas no site www.cdlbh.com.br. A entidade irá disponibilizar uma seção exclusiva para o associado que deseja se adequar aos critérios para a seleção do programa. De acordo com o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva, dos mais de 12 mil associados da entidade a grande maioria é formada por micro e pequenas empresas.

Segundo ele, a expectativa é de que mais de mil empresas consigam acesso ao crédito. "A CDL/BH vai acompanhar todos os pedidos, desde a solicitação até a entrada do recurso. Vamos facilitar o trâmite e fazer com que esse dinheiro realmente chegue na ponta” destaca o presidente da entidade. Ele ainda parabenizou a Fiemg pela iniciativa, destacando que esses recursos vão ajudar na sobrevivência dos pequenos negócios.

As condições da linha especial criada pelo programa Estímulo 2020 são infinitamente mais acessíveis do que as que estão no mercado hoje, segundo Souza e Silva. A taxa de juros é de 7% ao ano, com carência de três meses e o pagamento pode ser feito em 15 parcelas. “As linhas de crédito do governo não estão chegando. Estamos muito felizes com essa ação da iniciativa privada”, conclui o dirigente.

Fiemg

Lançado originalmente em São Paulo, o programa Estímulo 2020 já arrecadou R$ 130 milhões em doações de empresas e pessoas físicas para ajudar os negócios mais afetados pela crise da Covid-19, naquele estado e em Minas. “A Fiemg, como entidade representativa, atuou como articuladora para impulsionar o movimento. Lideramos uma ação de mobilização que trouxe grandes empresas para essa parceria, que ajuda a movimentar a economia mineira e brasileira nesse momento de restrições”, explica o presidente da Federação, Flávio Roscoe.

Os valores levantados com grandes empresas mineiras serão aplicados na Sicoob Credifiemg, que disponibilizará cinco vezes mais ao mercado em linhas de crédito. Além da Fiemg e da CDL/BH, participam ainda do projeto a Codemge, Energisa, Grupo Ferreira Lopes, MRV, Banco Inter, Localiza, Supermercados BH, BMG, ArcelorMittal, Construtora Barbosa Mello, Banco Máxima, Entre Investimentos, Pif Paf, Direcional, Banco BS2, Bamaq, Afya, UNA, UNI-BH e Mater Dei, entre outros. Mais informações podem ser obtidas no site da iniciativa.