Preocupações com a economia brasileira voltaram a pressionar a cotação do dólar nesta sexta-feira (18), se sobrepondo ao alívio trazido pela decisão do Federal Reserve (banco central americano) na véspera de manter inalterada a taxa de juros nos Estados Unidos.

Às 11h30 (de Brasília), o dólar à vista, referência no mercado financeiro, tinha valorização de 0,72% sobre o real, para R$ 3,913 na venda. Já o dólar comercial, utilizado em transações de comércio exterior, avançava 0,79%, para R$ 3,914. A moeda atingiu mais cedo a máxima de R$ 3,92. Por ora, ambas as cotações estão no maior valor desde 2002.