A combinação horário de verão, que começa neste domingo, calor e proximidade do fim do período eleitoral aquece a expectativa dos empresários do ramo gastroetílico na capital. A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel-MG) estima que, com os dias mais longos e quentes, a presença da turma do escritório depois do expediente cresça até 40%, na comparação com o restante do ano. Para atrair a freguesia para a happy hour, estabelecimentos lançam promoções e inovam o cardápio.

“É a alta temporada do setor. Com uma hora de claridade a mais e temperaturas que chegam a 36 graus, fica mais difícil resistir a uma passadinha no bar para comer, beber e jogar conversa fora”, comemora o diretor-executivo da Abrasel-MG, Lucas Pêgo.

Para receber a clientela de braços abertos, a preparação vai muito além da cerveja gelada. No Red Sports Bar, no bairro São Pedro, a novidade fresquinha para enfrentar o calorão são milk shakes alcoólicos. São três sabores: amarula tropical com sorvete de açaí, vanilla honey (sorvete de creme e baunilha) e hot chocolate (chocolate amargo, sorvete de creme e pimenta dedo de moça). Os preços variam de R$ 17,90 a R$ 18,90.

“Pensamos em uma opção refrescante para quem acaba de sair do trabalho”, explica Pedro Loureiro, um dos sócios. Inspirado no futebol americano, o empresário também criou combos especiais que incluem chope Heineken e tira-gosto às segundas, quartas e quintas-feiras, vendidos com 20% de desconto. Com a promoção “Melhor Jogada da Semana”, o proprietário espera que o movimento seja ampliado em 30%. Já o caixa deve ficar 15% mais gordo.

Na Mello Mercearia, na Serra, a expectativa também é de incremento de 30% no número de clientes, de acordo com o chef e sócio do estabelecimento, Celso Souza. De segunda a quinta-feira, das 17h às 19h, o estabelecimento oferecerá rodada dupla de chope Heineken. O cliente paga R$ 5,90 por um e toma outro por conta da casa.

Proprietário do Grampa’s Attic Pub, no São Pedro, Rômulo Alvarenga também quer beber nessa fonte. Para tornar a happy hour mais convidativa, inovou o cardápio. Na terça, tem dose dupla de chope. Às quartas, o cliente pede um drinque e ganha outro. Já quem for ao bar na quinta participa do desafio: se beber os nove tipos de chope que a casa oferece paga um preço especial (R$ 72).

No Assacabrasa da Savassi, Lourdes e rua da Bahia, de segunda à sexta-feira, das 18 h às 21h, o churrasco sai com 50% de desconto. Para acompanhar, loura gelada. A expectativa do sócio José da Costa Carvalho é que o horário de verão alimente as vendas em mais de 20%.

Já o bar Garota Carioca, no Trevo Seis Pistas, a proposta são rodízios de cervejas (R$ 27, 90) e de espumantes (R$ 32,90). A farra etílica acontece de terça à sexta-feira, das 18h às 20h30. “Com o horário de verão, esperamos que o movimento cresça entre 20% e 30%”, afirma o gestor da casa, Michel Lucas.

Horário de verão mais longo

O horário de verão, que começa no domingo, vai ser mais longo nesta edição. A economia de energia, entretanto, será menor. Serão 126 dias, sete a mais do que em 2013. O governo calcula que vai economizar menos dinheiro porque as usinas térmicas, que geram energia mais cara, estão ligadas para compensar a falta de chuva.

Para quem vai viajar, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) , que reúne Avianca, Azul, Gol e TAM, lembra que os bilhetes aéreos apresentam sempre a hora local: a informação da partida refere-se ao horário na cidade de origem . A entidade recomenda aos passageiros a conferência dos bilhetes. E m caso de dúvida, deve-se consultar as informações do voo no site da companhia aérea.