Um novo gostinho da culinária francesa está prestes a chegar em Belo Horizonte. Em abril deste ano, será inaugurada no Pátio Savassi uma filial do Paris 6 Bistrô, casa conhecida pelas iguarias inspiradas nas brasseries parisienses e pelos fregueses famosos assíduos na matriz de São Paulo e no restaurante do Rio de Janeiro.

Segundo o proprietário da rede, Isaac Azar, o empreendimento terá como sócio local o jogador Diego Tardelli, hoje no futebol chinês. O valor do investimento não foi revelado. De acordo com o empresário, o ex-atacante do Atlético foi quem deu o pontapé para que a casa fosse instalada na capital mineira.

“A sugestão foi do meu sócio na unidade BH, o Diego Tardelli. Belo Horizonte é uma cidade da qual sempre gostei, desde criança. Quando ele demonstrou interesse em inaugurar uma unidade na capital mineira, de imediato abracei a ideia”, afirmou, Azar.

O contrato com o Pátio Savassi já foi assinado e as obras terão início em breve. Isaac Azar confirma ainda, para este ano, as aberturas de casas em Goiânia e Porto Alegre. A rede também planeja atravessar fronteiras e fincar raízes em Miami, onde um bistrô deve ser inaugurado até o final deste ano.

Apesar de boa parte da crítica especializada torcer o nariz para o cardápio do Paris 6, por considerar que alguns pratos não são genuinamente franceses, o restaurante é sucesso nas unidades de São Paulo, nos Jardins, e do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca.
 
A filial carioca, que tem o jogador de futebol Emerson Sheik como sócio, chegou a ser interditada no último dia 17, mas as atividades foram retomadas no dia seguinte.

Celebridades

As refeições e sobremesas são batizadas com nome de artistas. Entre os mais requisitados estão Medaillons Gorgonzolla à Bruno Mazzeo (medalhões de filé ao molho gorgonzola e batata gratin) e Filet Parmeggiana à Rodrigo Faro (filé mignon à parmegiana servido à milanesa, em caçarola de ferro, gratinado em molho de tomate, um toque de rolî e queijo emmental).

A sobremesa campeã de pedidos é o Grand Gateau Paloma Bernardi, inspirado no petit gateau francês, mas com toque brasileiro.

Atleta empresário

O sócio local do empreendimento, Diego Tardelli, já é frequentador da matriz em São Paulo. "Sempre gostei do Paris 6, da comida, das sobremesas, do ambiente”, elogiou o jogador.

O interesse pelo negócio nasceu de uma conversa informal com um dos garçons da matriz. “Comentei com ele se não tinham interesse em abrir um em Belo Horizonte. Falei mais por falar e ficou naquilo. Aí, no ano passado, eu estava aqui na China e resolvi mandar uma mensagem para o garçom sobre o assunto. Quando o Isaac ficou sabendo, gostou muito da ideia e na hora começamos a conversar sobre essa possibilidade. Foi tudo muito rápido e deu tudo certo”, contou Tardelli.

O atacante vê a abertura do restaurante como uma forma de retribuir o carinho recebido em BH. “Eu queria muito abrir alguma coisa em Belo Horizonte. Me identifiquei muito com a cidade, com o povo mineiro”.