Profissionais que possuem diploma universitário podem receber até 50% mais do que os profissionais com apenas ensino médio no Brasil. É o que indica um levantamento do site de vagas de emprego Adzuna, que analisou e comparou mais de 320 mil anúncios de vagas.

Os diplomas que atraem as melhores médias salariais são: engenharias (R$ 3.690), tecnologia da informação (R$ 2.850) e economia e finanças (R$ 2.843).

Os diplomas que atraem as menores médias são: pedagogia (R$ 900), letras (R$ 870), artes e serviço social, com médias salariais entre R$ 800 a R$ 1.000.

As especializações também fazem diferença no mercado de trabalho. Vagas que exigem MBA têm média 15% maior do que das vagas que exigem apenas graduação. A análise levou em consideração anúncios para administração, marketing, economia e finanças.

O levantamento também aponta as cidades que estão oferecendo a melhor média salarial para profissionais de nível superior: Porto Alegre (R$ 2.569), Brasília (R$ 2.831),São Paulo (R$ 2.418,00) e Curitiba (R$ 2.303).

Segundo a pesquisa, as vagas não exigem diploma universitário lideram a criação de postos no Brasil desde dezembro. Os setores de comércio, administrativo (nível operacional) e industrial agregam mais de 180 mil vagas que não exigem nível superior e somam mais de 50% dos anúncios no portal.

A lista de cargos mais anunciados que não exigem nível superior com melhores médias salariais incluem: auxiliar administrativo e de almoxarifado, com vencimento entre R$ 1.000 e R$ 1.500 reais; vagas no setor industrial, como mecânico de manutenção, retificador e controlador de produção, com vencimentos acima de R$ 2.000; e vagas no comércio, para vendedor e operador de caixa, com vencimento entre R$ 900 e R$ 1.500.

“Os dados mostram que a economia brasileira está gerando mais vagas para profissionais sem nível superior. É um fator importante que garante a taxa de desemprego nos patamares mais baixos hoje e reflete os setores que estão liderando a economia”, disse, em nota, João Francisco, gestor do site Adzuna para o Brasil.