O endividamento das famílias brasileiras com o sistema financeiro passou de 42,8% em setembro para 42,5% em outubro, conforme dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (23). Se forem descontadas as dívidas imobiliárias, o endividamento apresentou uma baixa em outubro, ficando em 24,0% da renda anual. Em setembro, estava em 24,2%.

Ainda segundo o BC, o comprometimento de renda das famílias com o Sistema Financeiro Nacional (SFN) permaneceu em 22,2% em setembro ante outubro. Descontados os empréstimos imobiliários, o comprometimento da renda foi de 19,6% para 19,7%.

A instituição começou a fazer o levantamento em janeiro de 2005 e o retrato sobre o nível de dívidas brasileiras passou a ser incorporado na nota de crédito pelo BC em agosto de 2015. O cálculo do BC leva em conta o total das dívidas dividido pela renda no período de 12 meses e incorpora os dados da Pesquisa Nacional de Amostragem Domiciliar (PNAD) contínua e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), ambas do IBGE.

Leia mais:
R$ 30 bilhões devem ser injetados na economia com autorização de saque de contas inativas do FGTS

Etanol sobe em 15 Estados e cai em 11 na semana
Pela primeira vez, BC vê inflação dentro da meta