Minas Gerais teve queda de 1,1% em seu Produto Interno Bruto (PIB) de 2014. A informação foi divulgada pela Fundação João Pinheiro (FJP), nesta quarta (29). A agropecuária contribuiu fortemente para o resultado negativo, com o recuo de 4,1% registrado no setor. A indústria também apresentou retração expressiva, de 3%.

Já o setor de serviços apresentou uma pequena variação positiva, de 0,2%. Os números do PIB mineiro confirmam a tendência de queda da taxa de crescimento do estado nos últimos três anos, que passou de 2,5% em 2012 para 0,9% em 2013.

O resultado negativo da agropecuária mineira em 2014 decorreu, principalmente, dos efeitos da estiagem, que castigou culturas importantes no estado, como as safras de café, batata-inglesa, a primeira safra do milho, a segunda safra do feijão e a banana.

Na indústria mineira, o segundo resultado anual negativo consecutivo pode ser explicado pela retração de 4,8% no volume agregado da indústria de transformação, que teve resultados desfavoráveis principalmente na produção de bens de capital e duráveis, como na fabricação de automóveis e de máquinas e equipamentos. O cenário desfavorável da indústria de Minas em 2014 também é resultado da queda de 4,9% na construção civil e pelo decréscimo de 1% na produção de eletricidade e saneamento.

Nos serviços, a estagnação do resultado agregado refletiu a alta nas atividades do setor imobiliário e de aluguéis (3,0%), dos serviços de transporte, armazenagem e correios (1,2%) e da administração pública (0,4%), e a queda do comércio (1,2%) e no agrupamento de “outros serviços” (1,6%), que inclui os serviços de manutenção e reparação, alojamento e alimentação, informação e comunicação, intermediação financeira, serviços prestados às empresas, saúde e educação mercantis, serviços prestados às famílias e associativos e serviços domésticos.

*Com Agência Minas