O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe, e o comandante da Escola Superior de Guerra (ESG), Almirante de Esquadra Alipio Jorge Rodrigues da Silva, assinaram nesta quarta-feira (2) um acordo de cooperação para trazer a empresários mineiros a metodologia do planejamento militar e otimizar a administração das indústrias do Estado. A assinatura aconteceu durante a abertura do 1º Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa, na sede da federação, em Belo Horizonte.

O objetivo da parceria, inédita em Minas segundo Roscoe, é realizar uma série de eventos de capacitação e formação de gestores e, nas palavras dele, "beber da expertise das forças armadas em planejamento estratégico". A ESG, que completa 70 anos em 2019, tem desde sua fundação o objetivo de capacitar militares e civis para executarem funções de alto nível na administração pública. Agora, conforme o comandante da instituição, o conhecimento tem sido cada vez mais levado ao setor produtivo do país, o que resultou em parcerias com federações de indústrias em todo o Brasil.

A primeira ação da parceria em Minas começou já nesta quarta com a abertura do ciclo de palestras, que vai durar dois meses e funcionar como uma introdução para o curso que será ministrado em 2020 com o tema Gestão de Recursos de Defesa. Segundo a Fiemg, 146 representantes de indústrias mineiras se inscreveram para participar do ciclo de palestras..

Impacto

Os resultados do acordo, segundo o presidente da Fiemg, devem ser vistos primeiro no funcionamento das empresas. "Cada representante vai pegar o que for ensinado pela ESG e aplicar de acordo com a sua realidade, de forma geral, a otimização de gestão tem capacidade de aumentar a atividade industrial e gerar empregos posteriormente", pontuou.

Outra questão destacada tanto por Roscoe quanto pelo almirante foi o estreitamento da relação entre a indústria e as Forças Armadas. Apesar de o acordo não ter como objetivo que os empresários mineiros se tornem fornecedores diretos das Forças, a capacitação pode criar oportunidades de negócios. "A orientação do Ministério da Defesa é que trabalhemos o máximo possível com fornecedores brasileiros, justamente no intuito de fortalecer a indústria nacional", comentou o almirante, destacando a importância de uma indústria forte na defesa do país.

Temas

Entre outubro e dezembro, os representantes inscritos nas palestras serão instruídos sobre temas como os valores e fundamentos da ESG, o cenário brasileiro perante o mundo, geopolítica de conflitos, segurança nacional e sobre as Forças Armadas em si.

O ciclo de palestras iniciado nesta quarta é inédito em todo o Brasil e é a primeira vez que professores da ESG saem da sede no Rio de Janeiro para comandar eventos nesses moldes. Já Curso de Gestão de Recursos de Defesa, previsto para o próximo ano, deve repetir o que é ensinado anualmente a empresários da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).