UBERABA – Após atrasos no cronograma inicial, as obras de construção da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados V (Planta de Amônia), em Uberaba, no Triângulo Mineiro devem começar em outubro deste ano.
 
A cerimônia de lançamento da pedra fundamental da fábrica, que vai ser instalada na Distrito Industrial III, acontece no início da tarde deste sábado (3), com a presença da presidente Dilma Roussef e da presidente da Petrobras, Graça Foster. O início de operação da unidade, que prevê investimentos de R$1,95 bilhão de reais, está previsto para o primeiro semestre de 2017 e não mais em novembro de 2016, como era o esperado. A indústria terá capacidade para processar 519 mil toneladas de metros cúbicos de gás natural por ano.
 
O gás natural é o principal insumo para a produção da amônia, substância usada como matéria-prima de fertilizantes contendo fósforo e nitrogênio. Esse tipo de composto químico é usado, principalmente, nas culturas de milho, cana- de-açúcar, café, algodão e laranja, importantes produtos na balança comercial mineira.
 
“Hoje, 58% do fertilizante usado no Brasil é importado. A ideia é a de que em 2020, já com a operação plena da unidade em Uberaba, essa participação do produto importado caia para 13%, o que significará uma grande economia”, explicou o gerente executivo de Gás Química do Gás e Energia da Petrobras, Marcelo Murta.
 
Empregos
 
Durante a fase de construção, a fábrica deve gerar 3,7 mil empregos em diversas áreas. Após a conclusão das obras, serão abertos cerca de 400 postos de trabalho na nova fábrica, sendo metade voltada para profissionais da empresa e o restante para postos de manutenção através de demanda.
 
A terraplanagem do terreno, que possui um milhão de metros quadrados foi concluída e o trabalho de sondagem foi iniciado. A empresa responsável pelas obras é a Toyo-Setal.
 
Gasoduto
 
Para abastecer a fábrica com gás natural, o governo de Minas Gerais vai investir R$ 1,8 bilhão na construção de um gasoduto, que ligará Betim, a Uberaba. Com 457 quilômetros de extensão, o ramal vai seguir o traçado da BR-262.
 
O duto de distribuição tem potencial para criar um grande mercado consumidor em seu trajeto, que inclui 19 municípios ainda sem fornecimento de gás natural.
Questões como a criação de ações para incentivar esse mercado e o cronograma de conclusão das obras, inicialmente prevista para junho de 2016, ainda não foram esclarecidas pela Gasmig.
 
“Estamos convictos de que o duto estará pronto a tempo do início da operação da fábrica. Todos os procedimentos técnicos estão em andamento e os prazos serão cumpridos”, garantiu Murta.