Famílias belo-horizontinas vão consumir menos em 2022 que no ano passado, aponta pesquisa

Da Redação
primeiroplano@hojeemdia.com.br
12/01/2022 às 16:47.
Atualizado em 18/01/2022 às 00:52
 (Arquivo/AgênciaBrasil)

(Arquivo/AgênciaBrasil)

As famílias belo-horizontinas pretendem, em sua maioria, consumir este ano menos que o consumido no ano passado, revela pesquisa divulgada nesta quarta-feira (12) pela Fecomércio-MG.

Conforme o levantamento, 44,8% das famílias com renda de até 10 salários mínimos acham que o consumo familiar e da população em geral tende a cair nos próximos meses. Para 38%, o cenário será igual ao do último semestre do ano passado, enquanto 16,9% acreditam que o consumo será maior.

No caso das famílias com renda acima de 10 salários mínimos, 50% acham que a tendência é de o consumo nos próximos se manter como no último semestre de 2021. Para 32,1%, entretanto, será menor, enquanto 17,9% acham que o consumo vai aumentar.

A pesquisa foi elaborada pela Fecomércio MG com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Foram entrevistadas mil famílias residentes em Belo Horizonte nos últimos dez dias de novembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,5%.

O levantamento também mede o Índice de Consumo das Famílias (ICF), um indicador, conforme a Fecomércio, capaz de avaliar como os consumidores se comportam em relação aos aspectos relacionados à condição de vida de sua família, sua capacidade e consumo atuais de curto prazo, nível de renda doméstico e segurança no emprego. De acordo com o estudo, o ICF de dezembro de 2021 apresentou uma redução de 0,1 pontos em relação ao mês anterior, assumindo a pontuação de 72,8. A confiança segue, portanto, no nível de insatisfação, ficando abaixo dos 100 pontos.

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por