A inflação de serviços teve a maior aceleração do ano e fechou junho em 0,71%, informou nesta sexta-feira (16), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O indicador da entidade mede, separadamente, a variação dos preços de serviços (IPS) e produtos (IPV) no comércio varejista da região metropolitana de São Paulo. Em relação ao grupo de produtos, houve o primeiro recuo (-0,22%) desde março do ano passado. Com esses resultados, a inflação conjunta de produtos e serviços subiu 0,23% - menor alta mensal do primeiro semestre.

Em nota distribuída à imprensa, a FecomercioSP avalia que "a desaceleração do preço do conjunto de produtos e serviços pesquisados mostra que, apesar de o Banco Central ter demorado para reagir ao aumento da inflação, o aumento das taxas de juros começa a surtir efeitos".

O aumento da inflação do conjunto de produtos e serviços foi puxado pelos grupos vestuário (0,51%), habitação (0,47%) e transporte (0,42%). A queda de 0,22% do Índice de Preços no Varejo (IPV) foi influenciada principalmente por transportes (-0,83%), saúde e cuidados pessoais (-0,26%) e alimentação e bebidas (-0,25%). Já os grupos que mais pressionaram o Índice de Preços de Serviços (IPS) em junho foram transportes (2,56%), habitação (0,55%) e saúde e cuidados pessoais (0,46%).