A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) indicou aos seus cinco sindicatos filiados que permaneçam em greve até a próxima quarta-feira (18). Até lá, os sindicatos vão realizar assembleias com os trabalhadores para analisar a proposta apresentada pela Petrobras de reajuste salarial de 9,53%. A FNP pede 18%.

Segundo a federação, o porcentual pedido foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que considerou no cálculo a inflação no último ano e ganhos de produtividade. Segundo o coordenador da FNP Emanuel Cancella, a proposta da Petrobras cobre apenas a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A federação também quer que a Petrobras não desconte os dias não trabalhados, no período de greve. A empresa propôs descontar metade dos dias. Os sindicalistas ligados à FNP estão parados desde o dia 29 do mês passado.

Terminais da Transpetro estão na área de abrangência da FNP. Mas a maioria das unidades da Petrobras e também as mais produtivas são cobertas pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), que hoje indicou aos seus sindicatos a suspensão da greve.