As últimas geadas que castigaram lavouras de regiões como o Sul de Minas destruíram, além de milhares de hectares de plantações de café, culturas de hortaliças e frutas que abastecem o mercado nacional. A Unidade Regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas (Emater-MG) em Pouso Alegre – que abrange 40 municípios –, apurou que praticamente 100% das plantações de brócolis, que costumam chegar à mesa de consumidores em todo o país, foram atingidas.

Para piorar a situação, os agricultores estão preocupados com a possibilidade de suas lavouras serem atingidas por novas geadas nos próximos dias. A previsão é de que isso possa ocorrer a partir desta quinta-feira.

N/A

Prejuízo e desperdício -  Plantações de couve-flor foram comprometidas devido ao gelo e não podem mais ser comercializadas

 

O gerente da Emater-MG em Pouso Alegre, engenheiro agrônomo Alexandre Kurachi, apontou que a geada registrada entre segunda e terça-feira passadas foi a mais devastadora desde 1978. “Essa geada subiu um pouco mais e atingiu até mesmo lavouras plantadas um pouco mais para baixo na área de serra. O que estava no chão foi atingido”, observou.

Dos 3 mil hectares de morango, também distribuídos Brasil afora, pelo menos 1 mil hectares foram afetados, com destruição total dos frutos nessas áreas. O engenheiro agrônomo Alexandre Kurachi conta que cinco municípios da região são os maiores produtores de morango brasileiros.

Merenda escolar em municípios das regiões de Pouso Alegre e de Extrema, no Sul de Minas, já está prejudicada.

Cerca de 20% dos 7 mil hectares de banana sofreram danos. “Dependendo da situação, a planta consegue rebrotar. Mas o fruto, a casca, é sensível, escurece e perde o valor comercial”, lamenta Alexandre Kurachi. Segundo ele, a Emater-MG está fazendo um levantamento dessas perdas nas principais regiões produtoras do Estado. 

Brócolis, couve-flor, mandioquinha, salsa, folhosas, morango e banana estão entre as culturas mais afetadas no âmbito da Unidade da Emater-MG em Pouso Alegre. Todas elas são fornecidas para o país inteiro.

N/A

Sensível - Um terço da produção de morango foi afetada

O gerente da Emater-MG em Extrema, engenheiro agrônomo Hélio João de Farias Neto, confirmou que a região enfrenta o mesmo problema, de as geadas terem congelado pastagens, hortaliças e frutas. Ele alerta que a destruição de culturas como alface, escarola, almeirão, brócolis, couve-flor e tomate, além de banana e morango, está afetando a distribuição desses produtos para a merenda escolar dos municípios.

O fornecimento para entrepostos como a Ceasa de Campinas (SP) e a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de SP (Ceagesp), na capital paulista, além de vários municípios do entorno de Extrema, da região de Bragança Paulista, também está prejudicado, segundo o gerente da Emater-MG.

Veja a galeria com imagens da geada nas lavrouras: 

Leia mais:
Chegada de frente fria aumenta preocupação com idosos, doentes crônicos e pessoas em situação de rua
Servas lança campanha para arrecadar agasalhos; veja como ajudar
São João Del-Rei, Juiz de Fora e Lavras podem bater 0ºC pela 1ª vez neste fim de semana