O Plano Nacional de Imunização recebeu R$ 1,4 bilhão para a compra de 100 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. A portaria com a liberação dos recursos foi publicada nesta terça-feira (23), em edição extraordinária no Diário Oficial da União.

O dinheiro veio por meio de um crédito suplementar no Orçamento de 2021, que remanejou gastos discricionários (não obrigatórios), sem impactar as contas públicas nem estourar o teto de gastos. Caso os recursos viessem por meio de créditos extraordinários, estariam fora do teto.

A liberação dos recursos havia sido anunciada na última segunda-feira (22) pelo secretário especial de Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Esteves Colnago. O governo espera comprar 340 milhões de doses de vacina contra o novo coronavírus para as próximas fases de imunização.

Segundo Colnago, o crédito suplementar foi necessário porque o governo precisa adiantar 10% do valor do contrato ainda este ano. “O grosso da despesa [com a aquisição de vacinas] será no ano que vem”, declara.

Em 2020 e 2021, o Ministério da Economia liberou R$ 31 bilhões em créditos adicionais para a compra de vacinas e para despesas ligadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19.

 

Leia mais:
Falta de saneamento provoca 0,9% de mortes no Brasil em 10 anos, diz IBGE
Máscara em ambiente aberto será flexibilizada dia 11 de dezembro em SP
Pouso Alegre reduz período entre doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19