Governo quer controlar tarifas de hotéis nas copas do Mundo e das Confederações

Bruno Moreno - Hoje em Dia
22/02/2013 às 06:57.
Atualizado em 21/11/2021 às 01:14
 (Reprodução/Internet)

(Reprodução/Internet)

Preocupado com a grande chance de passar vexame nas Copas do Mundo 2014 e das Confederações 2013 por conta das altas tarifas hoteleiras, como ocorreu na Rio+20, no ano passado, o Governo federal resolveu comprar briga com o setor.

Na quinta-feria (21), o ministro do Turismo, Gastão Vieira, disse que vai fazer o que for possível para controlar o valor a ser cobrado dos turistas que vierem assistir às partidas de futebol.

“Preços abusivos, definitivamente, não. A partir de agora, vamos controlar o valor das diárias conjuntamente: tanto o governo e o Ministério do Turismo, por meio da Embratur, quanto o setor privado, os proprietários dos hotéis e as entidades que representam o setor hoteleiro”, afirmou, em visita à Câmara dos Deputados.

Mercado

Entretanto, apesar de afirmar que busca o entendimento, a fala do político incomodou o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), Enrico Fermi.

“O governo nos vê como parceiros. Não podemos ser tratados como irresponsáveis. É claro que um investimento feito em um hotel não vai dar retorno de uma só vez. São precisos 20, 30 anos. Portanto, não tem como controlar o preço. Quem vai fazer isso é o mercado”, enfatizou.

Ao mesmo tempo, Fermi reconheceu que pode haver donos de hotéis que queiram lucrar excessivamente durante os torneios. “Em toda profissão tem gente ruim, não tem como negar”.

A discussão em torno do valor das tarifas nos eventos esportivos começou, principalmente, após a Rio+20, quando delegações inteiras deixaram de vir ao Brasil por conta dos preços abusivos que estavam sendo praticados no Rio de Janeiro.

Nas últimas semanas, Gastão Vieira começou a percorrer as cidades-sede das Copas para tentar convencer o empresariado do setor hoteleiro a não aumentar excessivamente as tarifas nos períodos dos torneios. Na próxima terça-feira ele virá a Belo Horizonte para um encontro com representantes da hotelaria.

“Estamos antecipando e fazendo reuniões com representantes do setor hoteleiro em cada uma das cidades onde haverá jogos, vendo a realidade local e as dificuldades. Se houver abuso, o governo tomará providências. (…) Nós entendemos que, durante eventos, há uma demanda aquecida e existem casos normais. O que não vamos aceitar é abuso. Se isso vier a ocorrer, o governo vai agir”, ameaçou Vieira.

Entretanto, o ministro não detalhou quais podem ser as penalidades, nem mesmo qual norma, regulamentação ou lei poderia ser utilizada para punir os empresários que praticarem o sobrepreço no período. (Com agências).

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por