Rafael Moura é graduado em engenharia agrônoma e engenharia de produção. Atualmente, é diretor da I Wanna Sleep, entrando para o negócio em 2013, quando a holding GMA Participações, que atua em mercados como reflorestamento e imobiliário, decidiu diversificar seus investimentos, apostando no varejo. Nessa entrevista, Rafael fala sobre as estratégias de comunicação e marketing desenvolvidas pela empresa, inovação e os motivos de abrir uma loja conceito em Minas Gerais.


Quais as estratégias de comunicação e marketing desenvolvidas pela empresa para o mercado de Minas Gerais?

Buscamos inovar dentro de um segmento que, até então, era uma experiência de compra técnica e monótona. Toda nossa estratégia de negócio, da concepção da marca ao atendimento na ponta, foi direcionada a transformar essa experiência pouco atrativa em algo mais moderno e prazeroso. Além disso, investimos na presença digital, com um site completo; e-commerce; rádio IWS; o aplicativo iWanna Sleep; além das redes sociais I Wanna Sleep. Também investimos em mídia offline, como anúncios e outdoors em pontos estratégicos.


A I Wanna Sleep é uma empresa recente em Belo Horizonte. Por que investir no mercado mineiro?

O mineiro é um cliente muito criterioso, o que faz que continuemos inovando para atender suas demandas. Por isso, Belo Horizonte é conhecida tradicionalmente como praça teste, pois se um negócio dá certo aqui, tem chance de dar certo em todo o país. Foi esse o motivo de escolhermos a capital mineira para iniciarmos as atividades da I Wanna Sleep.


A I Wanna Sleep é uma loja conceito, voltada para o sono e relaxamento. O que a empresa faz para transmitir esse conceito e como o mercado tem recebido essa proposta?

O mercado tem recebido muito bem, prova disso é que estamos no terceiro canal de vendas em apenas 11 meses de operação. Por se tratar de uma loja de colchão, sono e relaxamento, toda a cultura da empresa é voltada para isso. Por exemplo, o cliente que entra na nossa loja não é recebido com café, que é uma bebida estimulante, mas com um chá alemão relaxante, que também comercializamos. Ou seja, não se trata apenas de um mix e posicionamento de mercado, mas da nossa essência.


A empresa lançou a pouco tempo o seu e-commerce. Porque abrir uma loja virtual para vender artigos de sono e relaxamento?

Sentimos a necessidade de abrir o e-commerce para oferecer mais comodidade aos clientes das capitais e, ainda, para atender grande procura do mercado do interior. Também dessa forma, conseguimos comercializar nossos produtos para todo o Brasil, o que vem de encontro com nossa proposta de expandir esse modelo de negócio para outros mercados.


A empresa disponibiliza para o cliente, com exclusividade, o software body scan. Como surgiu a ideia de criar o software? Como ele funciona?

O Body Scan foi criado para ser um instrumento de consultoria do sono para nossos clientes. Trata-se de um software conectado a uma manta com 1.600 sensores que processa estatísticas de pesquisas comportamentais do sono associadas a perguntas feitas ao usuário sobre hábitos noturnos e à leitura do corpo. O mapeamento é feito em segundos e possibilita ao consumidor fazer uma compra consciente do colchão mais indicado para a saúde do seu sono, o que impacta diretamente em sua qualidade de vida.