O Indicador de Incerteza da Economia brasileira (IIE-BR), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 2 pontos na passagem de outubro para novembro deste ano. Essa foi a segunda queda consecutiva do indicador, que busca "mensurar a incerteza da economia brasileira a partir de informações coletadas dos principais jornais do país e das expectativas do mercado financeiro acerca de variáveis macroeconômicas", segundo a FGV.

Apesar da queda, o indicador, que chegou a 129,3 pontos, está 14,2 pontos acima do nível de fevereiro de 2020 (115,1 pontos), ou seja, do período pré-pandemia de Covid-19 no país.

A queda da incerteza foi provocada pelo recuo de 5,8 pontos do componente de mídia, baseado na frequência de notícias com menção à incerteza nas mídias impressa e online.

O componente de expectativas, construído a partir das previsões dos analistas econômicos, por outro lado, cresceu 14,2 pontos, a quarta alta consecutiva.

Leia mais:
IBGE: desemprego cai 1,6 ponto percentual atinge em 12,6%
Uso de cartões cresceu cerca de 22% na Black Friday, aponta pesquisa