SÃO PAULO – O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) teve elevação de 2,5% no mês de julho em comparação com o mês anterior. O ICF passou de 138,9 pontos, em junho, para 142,3 pontos, em julho. A escala varia de 0 a 200 pontos e demonstra otimismo quando o resultado está acima dos 100 pontos.
 
Essa é a primeira alta do ICF desde o mês de abril. Em comparação com julho do ano passado, o índice também teve elevação de 2,5%. Os dados, divulgados nesta sexta-feira (3), são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio).
 
Entre as categorias analisadas pelo indicador, as maiores elevações em julho ocorreram em perspectiva de consumo (5,6%) e acesso a crédito (4,8%). Apresentaram alta também o nível de consumo atual (4,2%), emprego atual (1%) e perspectivas profissionais (4,1%). O item renda atual permaneceu praticamente estável, com leve variação negativa de 0,2%.
 
Segundo a Fecomercio, o resultado positivo é consequência de um ambiente econômico favorável com redução de preços, redução de juros, e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). “Essas medidas são importantes para a manutenção do consumo e também favorecem a contratação de crédito, uma vez que as famílias têm mais segurança em poder quitar o financiamento”.
 
A Fecomercio ressalvou que o aumento registrado em julho não significa mudança de tendência. “Em um cenário turbulento como o atual, é natural que as famílias flutuem a sua satisfação de acordo com as notícias da atividade econômica”.