O governo italiano se apressou em acalmar a revolta no país sobre perdas sofridas por milhares de investidores em quatro bancos pequenos, propondo um fundo de compensação para algumas famílias que perderam grande parte de suas economias. Uma emenda do governo ao projeto de orçamento de 2016 que está em discussão no Parlamento pretende criar um fundo de até 100 milhões de euros (US$ 130 milhões), que seriam financiados pelo sistema bancário italiano. Os detalhes dos critérios de elegibilidade e montantes a pagar serão determinados em uma data posterior. "O governo vai dar uma resposta [para o sofrimento financeiro de investidores de varejo nos quatro bancos]", disse o ministro da Economia, Pier Carlo Padoan, no fim da noite de sexta-feira, em uma comissão parlamentar sobre o assunto.

O movimento ocorre depois que a Comissão Europeia, o braço executivo da União Europeia, pressionou os Estados membros sobre a importância da proteção de consumidores e de garantir que investidores domésticos tenham pleno conhecimento dos riscos vinculados à compra de títulos financeiros.

De acordo com o plano, quatro supostos "bancos bons", cada um contendo os ativos saudáveis dos diferentes credores, e um único banco ruim reunindo os empréstimos ruins dos credores, serão formados a partir dos quatro bancos de poupança pequenos. Os bons bancos estão sendo recapitalizados por um fundo financiado pelos credores do país, o chamado Fundo de Resolução, para aumentar o capital dos quatro bancos a um nível igual a 9% dos seus ativos ponderados pelo risco. No entanto, o negócio impôs perdas aos acionistas e detentores de bônus juniores, que viram seus investimentos serem dizimados.

As objeções de alguns investidores e partidos políticos aumentaram rapidamente. Mas a controvérsia explodiu na quinta-feira depois que a imprensa italiana informou que um aposentado cometeu suicídio depois de perder 110 mil euros em economias que tinha investido no Banca Popolare dell'Etruria e del Lazio. "Este é um episódio muito grave", disse Carlo Rienzi, o presidente da associação de consumidores Codacons. "É importante lembrar aqueles que perderam todas as suas economias devido ao resgate dos bancos de pequeno porte que nem tudo está perdido." Fonte: Dow Jones Newswires.