A Iveco Veículos de Defesa, divisão militar da empresa do Grupo Fiat, apresentou ao Ministério da Defesa sua proposta técnico-comercial para o fornecimento de 186 Viaturas Blindadas Multitarefas – Leve de Rodas (VBMT-LR), um veículo blindado de porte médio com funções múltiplas, como o transporte de militares em locais inóspitos. A companhia prevê a produção das unidades em Sete Lagoas, caso seja vencedora do processo licitatório.

A fase atual é de recebimento de propostas das empresas pré-qualificadas para o edital, estágio anterior à abertura da concorrência. Avibras/Renault, Amgeneral/Plasan e a Bae Systems também foram qualificadas. Outras empresas que não participaram dessa fase podem fazer propostas quando a concorrência for aberta.

O Ministério da Defesa pretende, além de renovar a frota das viaturas obsoletas, nacionalizar esse tipo de veículo. A entrega dos veículos ocorrerá em três etapas. A primeira, um lote de 32 unidades, ainda permite a produção das unidades no exterior. A fase seguinte prevê a produção ou montagem em território nacional de 77 veículos e a última, de mais 77 unidades, exige a produção local com taxa de nacionalização de, pelo menos, 60%.

O prazo de entrega é de três anos após a assinatura do contrato, previsto para ocorrer no primeiro trimestre de 2015, informou a Iveco.

A empresa do Grupo Fiat informou que a unidade de Sete Lagoas, onde já se produz o blindado de transporte de tropas 6X6 Guarani, tem área suficiente para ampliações, caso seja necessário. Estudos para eventual investimento na fábrica serão realizados após o término do processo licitatório e caso a companhia seja vencedora do pleito.

O modelo que o braço do grupo Fiat pretende fornecer, o LMV Iveco, é produzido hoje na Itália, na cidade de Bolzano, pela Iveco Defense Vehicles, e tem a vantagem de já ter sido amplamente testado, com mais de 5 mil unidades comercializadas em 12 países da Europa, e também com presença no Irã e Afeganistão. Uma vitória no processo licitatório pode servir também para que a Iveco utilize a planta mineira como plataforma de exportações para a América Latina.

O grupo italiano confia também nas inovações trazidas pela empresa para o LMV Iveco para superar os concorrentes, sobretudo no que diz respeito à proteção dos tripulantes. A companhia desenvolveu uma cápsula de sobrevivência com um conceito de engenharia que, em caso de explosão, impede que partes sejam lançadas para dentro da viatura e os bancos ficam suspensos para impedir a transferência da energia da explosão para dentro do veículo, com risco para os ocupantes.

 

Empresa já entregou 100 unidades do blindado de transporte Guarani

Em Sete Lagoas, onde está situada a Iveco Veículos de Defesa, as linhas de montagem da empresa estão, hoje, completamente voltadas para a produção do Guarani. A divisão de veículos militares do Grupo Fiat foi criada a partir do contrato de R$ 6 bilhões da Iveco com o Exército Brasileiro para fabricação de 2.044 unidades do Veículo Blindado de Transporte de Pessoal – Médio sobre Rodas (VBTPMR), o Guarani. Até setembro, 100 blindados haviam sido entregues.

Foram destinados investimentos totais de R$ 155 milhões, distribuídos em R$ 75 milhões para a instalação da planta fabril em Sete Lagoas, R$ 45milhões no desenvolvimento do projeto do Guarani e outros R$35milhões foram direcionados à Fiat Powertrain (FTP), outro braço do Grupo Fiat, para fabricação do motor diesel de 9 litros utilizado no blindado. Quando foi idealizada a fábrica, já estava nos planos da Iveco a produção de outros veículos militares para as Forças Armadas Brasileiras e a intenção de exportar para a América Latina.