O juro médio total cobrado no cartão de crédito subiu 3,6 pontos porcentuais de julho para agosto, conforme informou nesta quarta-feira, 23, o Banco Central. Em janeiro, a instituição passou a incorporar dados sobre esse segmento, que regula desde maio de 2013. Com a alta na margem, a taxa passou de 90,3% ao ano em julho para 93,9% ao ano no mês passado.

O juro do rotativo é a taxa mais elevada desse segmento e também a mais alta entre todas as avaliadas pelo BC, batendo até mesmo a do cheque especial e rompendo a marca dos 400%. No mês passado, os brasileiros que usaram essa modalidade de crédito pagaram 403,5% ao ano, um recorde.

Na comparação com julho, quanto essa taxa era de 394,7%, houve alta de 8,8 pontos porcentuais. No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro aumentou 8,9 pontos de julho para agosto, passando de 120,9% ao ano para 129,8% ao ano.

Crédito livre

A média diária de concessões de crédito livre subiu 5,5% em agosto em relação a julho, para R$ 12,2 bilhões, de acordo com o Banco Central - em julho, estava em R$ 11,6 bilhões. A alta no ano até o mês passado, no entanto, está em 0,8% e, em 12 meses até agosto, em 1,1%. No crédito direcionado, a média aumentou 3,1% na comparação
mensal, ainda assim, o resultado do ano continua negativo, uma queda de 17%. Em 12 meses, o recuo é de 10,5%. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 1,6 bilhão no mês passado.

Quando se junta o crédito livre mais o direcionado, a alta é de 5,2% em agosto. No ano, a queda é de 1,6% e, em 12 meses, o recuo é de 0,6%. O total das concessões diárias ficou em R$ 13,8 bilhões no mês passado.

Estoque de crédito

O estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,7% em agosto ante julho e chegou a R$ 3,132 trilhões, como informou Banco Central. Nos primeiros oito meses do ano, houve alta de 3,8% e, em 12 meses até agosto, de 9,6%. Houve aumento de 0,6% para pessoas jurídicas e alta de 0,8% para o consumidor no mês. De janeiro a agosto, a alta está em 2,9% para as empresas e em 4,8% para a pessoa física.

No caso do período de 12 meses encerrados no mês passado, as taxas são de crescimento de, respectivamente, 9,2% e 10,1%. De acordo com a autoridade monetária, o estoque de crédito livre subiu 0,3% no mês, teve alta de 1,5% nos primeiros oito meses de 2015 e de 5,2 % em 12 meses até agosto. Já no caso do direcionado, aumentou 1,1% em agosto ante julho, 6,3% nos primeiros oito meses do ano e 14,7% em 12 meses até agosto.

No crédito livre, houve crescimento de 0,3% para pessoas físicas no mês, de 1,6% nos primeiros oito meses do ano e de 4,6% em 12 meses até agosto. Para as empresas, no crédito livre, houve alta de 0,4% em agosto e de 1,4% nos primeiros oito meses do ano e de 5,7% em 12 meses encerrados em agosto. O BC informou ainda que o
total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 54,5% em julho para 54,6% no mês passado.