A taxa de juros média que incide sobre o rotativo do cartão de crédito -quando o consumidor deixa de pagar a fatura integral- subiu para 350% ao ano em agosto, afirma pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) divulgada nesta segunda-feira (14). É o maior nível desde março de 1999. 
 
De acordo com a Anefac, a taxa cobrada do consumidor na modalidade passou de 13,03% ao mês (ou 334,84% ao ano) em julho para 13,37% ao mês (ou 350,79% ao ano) em agosto. 
 
O aumento é reflexo da desaceleração econômica do país, que eleva o risco de calote, e também das altas do juro básico (Selic) pelo Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central), de acordo com a associação. 
 
Em agosto, os juros médios para pessoa física atingiram 7,14% ao mês (ou 128,78% ao ano), maior nível desde julho de 2009. Em julho, a taxa era de 7,06% ao mês (ou 126,74% ao ano). 
 
Os juros no cheque especial atingiram 10,14% ao mês (ou 218,67% ao ano), o maior patamar desde janeiro de 2003. 
 
Segundo Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor da associação, o cenário de alta nos juros deve se manter nos próximos meses por causa da perspectiva de aumento da inadimplência no país.