Dados divulgados pelo Sinduscon-MG mostram que, dos 3.238 apartamentos novos vendidos entre janeiro e julho de 2021, em BH e Nova Lima, 1.015, ou 31,3% do total, são do chamado padrão econômico – com valores até R$ 215 mil.

Em comparação aos sete primeiros meses de 2020, as vendas do imóveis de perfil econômico até que subiram bem (70,6%). Mas os lançamentos para essa faixa de mercado estão em queda. Se, entre janeiro e julho do ano passado, foram lançadas 851 novas unidades, em 2021, no mesmo período, 581 novos imóveis foram postos à venda –retração de 31,7%.

Ainda segundo o Sinduscon-MG, em 2021, os meses de janeiro, junho e julho não registraram lançamentos de imóveis com valores até R$215 mil. Para Cristiano Santos, diretor da AP Ponto Construtora, que atua exclusivamente na oferta de imóveis econômicos, uma das maiores dificuldades enfrentadas pelas empresas é conseguir captar terrenos que abriguem os novos empreendimentos a um custo que garantam a viabilidade de comercialização. “A maioria dos novos lançamentos está concentrada na Grande BH, em especial Contagem, Brumadinho e Santa Luzia, e, mesmo assim, o custo está mais alto a cada dia”, explica Cristiano.

Outros dados

Em julho deste ano, foram comercializados 387 apartamentos novos em BH e Nova Lima, movimentando um total de R$ 246 milhões no setor. 
No acumulado do ano, as vendas tiveram alta de quase 50% em relação ao observado em igual período de 2020. O aumento é ainda mais expressivo quando se compara com os dados do ano 2019– alta de 67,60%. Do total de unidades vendidas, a maior elevação foi registrada entre as unidades do padrão Super luxo, que custam acima de R$ 2 mi. Na comparação entre janeiro e julho de 2020 e os mesmos meses de 2021, a alta foi de 205,1%.

Leia também:

 

Mudança em financiamento de unidades para baixa renda anima construtoras