O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, destacou que as mudanças relativas ao ajuste fiscal proposto pelo governo, como a PEC do teto de gastos, "estão avançando num nível muito veloz, consideradas as suas profundidades". De acordo com o ministro, o Senado deverá aprovar nesta terça-feira, 13, em segundo turno a proposta de emenda à Constituição que prevê um limite de despesas públicas relativas à inflação, para o horizonte de 20 anos. "A agenda de reformas avança de forma firme e consistente." Segundo o ministro, com as medidas de ajuste fiscal, que incluem a reforma da Previdência Social, em 10 anos as despesas públicas como proporção do PIB devem cair para níveis registrados há uma década. "O corte temporário de despesas e aumento permanente de impostos é dinâmica perversa", comentou Meirelles. O importante, segundo o ministro, é corte constante de despesas.