Os membros do Mercosul assinaram mais uma vez, na manhã desta sexta-feira (17) o protocolo de adesão da Bolívia como sexto membro do bloco. A entrada do país já tinha sido acertada durante Cúpula anterior em Brasília, em dezembro de 2013, quando foi anunciada de surpresa, e inclusive já foi aprovada pelos parlamentos de Venezuela, Uruguai e Argentina. No entanto, teve que ser refeita porque o Paraguai se recusava a aprovar o protocolo preparado durante o período em que estava suspenso.

A aceitação do processo de adesão estava em negociação com o Paraguai desde a metade de 2014, quando o Paraguai voltou oficialmente ao bloco. A mudança ainda deve ser aprovada pelos Congressos do Brasil e do Paraguai, já que as casas legislativas dos outros membros já retificaram a entrada da Bolívia. "Pedimos a instância do Mercosul que acelere o processo da integração da Bolívia como membro pleno do bloco", afirmou Evo Morales, em discurso a chefes de Estado da cúpula do Mercosul.

Evo ressaltou que é uma grande alegria que o País seja aceito como membro pleno do Mercosul. O País participa como convidado de reuniões do bloco desde 1996. "Temos esperança e confiança no Mercosul para continuar nos desenvolvendo", afirmou Evo. "Respeitamos a liderança do Brasil e Argentina em desenvolvimento tecnológico e gostaríamos de ter um trabalho conjunto para ampliar nossos mercados".